PEQUENOS GESTOS QUE SIGNIFICAM TANTO

0

Leia ouvindo: Nina Simone – Revolution (part 1)

Reclamamos todos os dias da nossa falta de tempo. Afinal, somos todos da geração 360º a 200km/h. Temos que cuidar do corpo, da casa, da família, do trabalho. Cuidar do que pensamos, o que pensam da gente, tentamos agradar o vizinho, o porteiro, o jardineiro e nossa própria família.

No meio da rotina, são um, dois, três e não sei quantos mil relatórios respondidos.

Abrimos e fechamos portas. Várias pessoas passando a cada segundo em nossas vidas e muitas vezes não enaltecemos a nós mesmas pelo excelente trabalho, quiça, aquela colega que está ao nosso lado.

Convivemos com gente que questiona o perfil alheio no instagram. Gente que nem próxima é, mas logo é surpreendida por questionamos mentais e nem mesmo sabe disso. Doutrinadas por uma sociedade machista, a questionadora do perfil em questão coloca em cheque a reputação da moça que está viajando durante os dias da semana ao invés de trabalhar. Há também uma insinuação, talvez seja garota de programa ou talvez tenha um macho pagando por tudo aquilo.

Convivo com gente errada, e talvez isso aconteça com mais gente por aí. Mas independente da convivência certa ou errada, o que nós fazemos? Absolutamente nada.

Precisamos desconstruir. Precisamos reprogramar. No meio das mil coisas cotidianas um respiro. Não olhe para o instagram, olhe para o lado.

Fotografia: Juliana Manzato

Olhe para o lado e diga para a mulher ao lado que ela está fazendo um excelente trabalho. Liga para a sua mãe e diga que ela é uma heroína. Manda um whatsapp para sua irmã e diga que tem muito orgulho dela. Mande mensagem para aquela amiga dizendo que vai ficar tudo bem.

Temos que parar de pensar que a fulana do instagram está sendo bancada por alguém. Temos que parar de julgar a outra mulher. Temos que parar de achar que a culpa é sempre feminina. Isso é urgente!

Tudo na vida tem sempre um zilhão de explicações, mas no final do dia o que a gente só quer mesmo é alguém que reconheça nossa passagem pelo mundo.

Não é um elogio pelo físico, mas é o apoio moral e intelectual pela batalha diária. Mulheres precisam apoiar mulheres. A outra mulher que está nos braços do seu crush não é uma vaca. Ela é mulher, tem história, tem os motivos dela e se tem alguém sacana nessa história, esse alguém não é ela, mas ele. É ele que não está sendo honesto com ninguém, nem com ele mesmo. (E se me permite o lembrete: esse tipo de cara, não! Apenas, não! Corre que é cilada!).

Precisamos urgentemente colocar a sororidade debaixo do braço e sair gritando para as coleguinhas o quanto elas são incríveis.

Leve debaixo do braço também a icônica frase de Cristina Yan em Grey´s Anatomy: “Foda-se a beleza, eu sou brilhante! Se você quer me elogiar, elogie o meu cérebro”.

Vamos juntas distribuir elogios? Esses pequenos gestos que significam tanto e iluminam o dia quem recebe.

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.
Luiza Pellicani

Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.