Por dias e pessoas melhores!

Leia ouvindo: Hozier – Work Song

É hora de arregaçar as mangas, pessoal! Isso mesmo, não me olhe como se eu estivesse propondo a proibição do chocolate ou coisa assim. Chegou a hora de mudar a chavinha, de fazer valer a ordem de que se o tal do Maomé não virá até a montanha, então a montanha vai ser obrigada a fazer uma caminhada. É fácil dizer que a vida anda complicada, não acha? Agora responde rápido, sem pensar: quanto você tem feito pra tornar os seus dias mais felizes?

Eu não gosto de livro de autoajuda, então antes que isso comece a parecer uma palestra motivacional, quero lembrar que eu sei MUITO bem que esse desafio é grande. Gigantesco, eu diria. Mas li em algum lugar que para mudar completamente um hábito ruim, você precisa praticar o contrário por 60 dias. Gente, que que são 60 dias? Passa tão rápido que a gente nem percebe.

0d21985cf766ed033ac6a8c1424ac752

[ Imagem: reprodução ]

Ficar o dia inteiro reclamando que o frio anda avassalador dá muito mais trabalho do que destinar essa energia pra elogiar o sorriso da colega de trabalho que recebeu flores do namorado. O frio está terrível mesmo? Está! Eu também gosto mais do calor. Mas essa energia reclamona que a gente emite volta numa vibração igual ou pior pra nós. É fato: reclamar sobre o frio JAMAIS na história da humanidade fez com que as temperaturas subissem. Então, baby…coloque um casaco bonito, a bota nova que você comprou, uma música gostosinha na playlist e convide alguém pra tomar um vinho. Quer melhor desculpa pra fondue e vinho do que noite fria?

Pensamento estratégico: se eu não posso fazer nada para mudar a condição que me rodeia, devo aprender a lidar pacificamente com ela. Se posso fazer algo para mudar, então eu vou arregaçar as minhas mangas, traçar boas metas e trabalhar. Não existe a opção “reclamar no ouvido do coleguinha”! O Universo deve estar de saco cheio de nós! Eu, no lugar dele, estaria!

Falo e ouço tudo isso com muita atenção. Muito maior do que o meu medo de barata, é o meu pavor por gente chata! Mais do que conviver com esses figurões, o meu medo é me tornar um deles. Ser aquele coleguinha que nunca é bem quisto em lugar algum, em que a sua ausência jamais é notada, em que a sua presença causa no outro desconforto e preguiça. Ser um reclamão nos transporta automaticamente pra esse patamar. O cansativo rol dos adeptos à cultura ‘ó céus, ó vida’!

Então chega! É hora de construir pontes ao invés de muros. Se estiver calor, a gente toma uma limonada, se estiver chovendo dançaremos na chuva! Mas a energia será sempre gasta em coisas realmente boas, que valham a pena. Se a língua coçar pra falar mal do coleguinha, a gente pode cantar uma música. Deus sabe o quanto é difícil se livrar desses hábitos nocivos, mas poxa…esse esforço vai nos tornar pessoas tão mais legais! Ser um chato está demodê! É hora de mudar o mundo! Você vem?

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo