PRECISO DE VOCÊ AGORA

0

Leia ouvindo: Lorde – Green Light

Nunca olhei para o espaço vago com a finalidade de precisar de alguém. Passei por todos os males da vida agarrando nas minhas próprias mãos. Tentei me reencontrar sozinha no meio da noite e de uma bagunça sem fim de gente e atitudes. Me perdi no vale das sombras e não quis ser resgatada por acreditar que poderia sair sozinha.

Aprendi a me encontrar no meio da multidão de rostos e formas. Algumas não tão boas, e outras mais que péssimas. Dos licores fiz minhas cores, e das loucuras na madrugadas pendurada em lustres e contando até três para shots de tequila a força para acordar no dia seguinte.

Fiz sorrisos doces enquanto a alma chorava numa intensividade estranha e desconhecida.

Criei reinos para a minha segurança. Me afastei de gente boa e construtiva, me aproximei da escória escondida de sorrisos doces de uma sociedade secreta repleta de frivolidades e apontamentos sobre o que é perfeito para você.

Fotografia: Juliana Manzato

Eu fiz o que fiz por estar perdida pelo caminho. Não deu tão certo quanto parecia que ia dar.

Me achei a dona da razão, mas que razão não tinha nenhuma. Perdida depois de tanto tempo a margem de um mar morto onde é impossível boiar encontrei você.

Aquela figura cheia de si e com a certeza nas palmas das mãos como se eu tivesse combatido aos monstros errados.

Com um sorriso desconcertou o certo e o errado. No olhar abriu a janela da sua própria alma e sem dizer uma palavra mostrou nossos medos e traumas tão semelhantes. Não me agarrei a isso, apenas ao calor do seu corpo e de suas palavras. Me travesti de mulher segura completamente perdida em meio a suas certezas.

Eu quis que fosse embora, eu quis que ficasse. A sua energia misturou com a minha e resgatou a menina doce que foi morta pela má. Acreditem, quando a garota má surge é difícil aniquilala para trazer as nossas melhores partes de volta.

Uma vez fora de si, fica difícil se reencontrar.

Por isso quando te abracei e pedi que ficasse, falei de verdade e de coração. Quando disse que não havia necessidade de rótulos, falei de verdade e de coração.

Paciência, não vá embora.

Não é um suplico ao vazio das incertezas do tempo. Não é uma exigência. Não é uma necessidade. Eu só preciso de você agora, do seu carinho e de suas palavras que trazem de volta a quem um dia foi embora.

Preciso de você agora e só quero que fique.

Luiza Pellicani

Luiza Pellicani

Jornalista que perdeu o filtro quando nasceu. Fala e faz o que dá na cabeça. É apaixonada por jornalismo, escrita, música, vida e por pessoas. Balada é comigo. Cinema é comigo. Netflix é comigo. Família é comigo. Nos amores, aproveite, as coisas podem mudar. E não esqueça, máxima do 8 ou 80 não funciona comigo.
Luiza Pellicani

Últimos posts por Luiza Pellicani (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.