Quase tudo aquilo que eu queria

Leia ouvindo: Woodlock – Lemons

Amigo de uma amiga, gato, divertido, interessado e comentado, entre eu e ela claro. Ele se tornou tudo aquilo que eu queria. Passamos algum tempo planejando como ela me aproximaria dele e vice-versa. Tudo milimetricamente pensado para acontecer assim, num estalar de dedos e ares de Fada Madrinha.

Quando os pés estão descalços a gente trata de colocar sapatos. A gente nem pisou na grama direito, sentiu a terra ou o cimento queimado do chão. Buscamos proteção/blindagem o tempo todo. Meus pés já estavam descalços à algum tempo, queria buscar um novo sapato, uma forma ideal próxima à perfeição, longe das bolhas e calos. Aquele mundo cor de rosa de uma figa que a gente cria e acredita.

Não foi num estalar de dedos e nem com ajuda de fada madrinha. Vodka faz coisas acontecerem. Quando abri os olhos novamente lá estava eu, beijando um cara que nem se quer pegava na minha cintura ou falava comigo. Automático demais para os meus planos. Sistemático demais para deixar o destino agir. Uma hora foi suficiente para eu escolher novamente a cia das minhas amigas e abraçar minhas causas. Deus do céu, ele era quase tudo aquilo que eu queria.

{ Imagem reprodução }
{ Imagem reprodução }

Maysa, meu mundo também caiu! Tudo aquilo que eu achava romanticamente que combinava, inclusive signos, estavam mais para mercúrio retrógrado. O Beijo não casou, o abraço não colou e o destino não colaborou. Dei graças à Deus dele também querer a cia dos amigos. Cada um para o seu lado.

Tudo que a gente mais quer, pode não ser tão bom assim pra gente. Sinceramente, preferi nem pensar mais nessa história e decidi agradecer o destino. Ser “quase  tudo aquilo que eu queria” não é ruim, mas não faz meu coração bater mais rápido. Minha pupila não dilatou o tanto que deveria, minhas mãos não estavam transpirando, minhas pernas não estavam inquietas e o coração não veio na boca. Sinais “vitais” de querer e do cupido ter enfim acertado seu gosto e colocado alguém legal para você provar o beijo e ficar com gostinho de quer mais (ou não!).

“Quase tudo aquilo que eu queria”, ” quase abraço” , ” quase envolvimento”, quase tudo aquilo que a gente quer, quase tudo aquilo que te faz bem. Entre as meias verdades e coração solitário, volto meus pés para o chão, ando mais um pouco pela grama. Talvez não fosse um bom dia para provar novos sapatos.

Assinatura_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

2 comentários em “Quase tudo aquilo que eu queria

  1. Eei Ju,
    Amo muuuito os seus texto! Me identifico com quase todos
    os sentimentos que eles expressam!
    Parabeens pelo blog, eu visito todo dia!! :))

    Beijinhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo