#QUASE30 – FLUIR

Leia ouvindo: Florence + The Machine – Dog Days Are Over 

Gosto de observar sinais que a vida deixa pelo caminho. Como boa observadora me tornei espectadora dos sinais e consequentemente de todos os acontecimentos vindos deles. Sinais esses que chegam de maneira fluida, como sopro nos ouvidos e detalhes para os olhos.

São tão fluídos que por vezes podem passar desapercebidos, e passam. E a partir desse entendimento de passagem, vem a lição de observarmos mais os nossos dias ao invés de simplesmente nos preocuparmos demais.

Tudo está em nosso alcance. Tenha certeza que a partir do momento que aprender a observar, aprenderá o passo a passo para realizar.

Fotografia: Juliana Manzato

No final de semana subi em uma montanha conhecida por vôo livre. Por uma tarde fiquei observando a movimentação de todos que estavam ali para voar, dos paragliders coloridos aos gaviões. Todos dividiam o mesmo céu.

O gavião me chamou atenção. Aquele incrível pássaro nada mais é do que um exímio observador. Através do seu incrível olhar e sexto sentido, encontra correntes de vento e bolsões de ar para desbravar o céu. Sua ação é simples: sente, observa e vai. Determina os próximos passos depois de sentir e observar, e assim, sucessivamente.

A ansiedade parece não existir, afinal, ele confia na decisão que tomou, isso inclui a possibilidade de pouso forçado vez ou outra. Ele é observador, não guru. Ao observar, nem ele e nem nós, estamos isentos do erro, mas estamos no esforço para diminuir a possibilidade de acontecer.

Quando deixamos a vida controlar o destino percebemos que é inútil tentar mudar o rumo de situações que precisam acontecer. Você vai entender que precisa estar exatamente onde esta, passando por tudo que está passando, fazendo as escolhas que devem ser feitas, aprendendo com quem está ao seu redor e principalmente, sendo responsável pelo universo que criou até aqui.

Você não está abrindo mão de nenhum sonho, não está postergando ações e muito menos esperando que suas realizações caiam no colo. Você só mudou a posição diante da vida, de controlador passou a desenvolver também a observação.

Tudo pela mágica de viver melhor. Tudo visto de uma nova lente. Tudo muito pertinente. Na maioria das vezes é melhor ser gavião. Sentir, observar e ir. Sentir, observar e mudar. Sentir, observar e encarar.

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo