QUE PERFEIÇÃO TE CABE?

Leia ouvindo: Rihanna – Only Girl (In The World)

Que perfeição te cabe? Eu refleti muito na tentativa de encontrar uma resposta coerente para uma pergunta tão profunda. A perfeição que me cabe é completamente imperfeita, dual e confusa.

Um suspiro aliviado. O imperfeito me parece ser ainda mais belo.

Na busca pela perfeição, encontrei no imperfeito pistas de como cheguei até aqui. Olhando para trás, aquele amontoado de experiências fez o papel que lhe cabia: expandiu meu ser.

Enquanto a perfeição fez questão de me paralisar por bastante tempo, a imperfeição apresentou infinitas, e fluídas, possibilidades.

Ilustração: @mauriche

A perfeição, muito bem vestida, trazia na bandeja a expectativa do outro, enquanto a imperfeição, de chinelo e shorts jeans, sentava no sofá apresentando, de maneira justa, aquilo que eu tinha de meu melhor.

A perfeição que me cabia até pouco tempo paralisou. Sem grandes novidades para apresentar, deixou de estar. Hipócrita da minha parte dizer que a perfeição não me cabe mais, ainda cabe e vez ou outra vem com a bandeja repleta das mesmas opções tóxicas e sem valor nutricional.

Com o passar do tempo, a gente aprende que quem se alimenta dessas opções somos nós mesmas, portanto, é da nossa responsabilidade rejeitar educadamente o que pode causar qualquer tipo de mal estar.

“Isso não é suficiente, eu quero mais”, “Idiota, você não é capaz”, “Você fazer sucesso? Jamais”, “Você é pobre, vai continuar sendo”, “Essa conquista não é para você”, “Eles reparam”, “Você falhou”…

A perfeição cria arquétipos e usa todos contra você. Impostora, rejeitada, insegura, e tantas outras faltas, que a gente sempre acaba tapando superficialmente. Se não atentas, o remendo cai. O emaranhado de fios dessa trama vai além. Haja terapia! Ou skincare. Aprendemos cedo que autocuidado vende na farmácia mais próxima e até entrega em casa, com frete grátis viu?

Quero falar de perfeição, mas também quero ser um pouco como Brenné Brown, investigando incansavelmente a coragem de ser imperfeita. Isso me cabe. Abrir gavetas esquecidas, abrir mão de apegos desnecessários, tomar coragem para visitar espaços nunca antes explorados, expandir possibilidades e continuar fazendo a pergunta: o que mais é possível que eu não considerei?

A imperfeição exige coragem. Tome com doses de ousadia. A perfeição tem um caminho padrão, será que depois de tanto investigar, faz sentido encaixar? A perfeição que lhe cabe é diferente. O caminho é só seu.

Quantas vezes você acreditou que sua vida caberia em uma caixa de fósforo por que alguém te falou? E se eu te falar que não existe tamanho de caixa, mas uma vida que é só sua e que está te esperando lá fora?

Respire fundo, minha amiga! A real é que está todo mundo medindo a própria caixa de fósforo, e não existe medida padrão que me faça acreditar que aquele pequeno espaço me cabe. E ai, te cabe?

Vamos descobrir juntas durante todo outubro.

Com amor,

Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo