Sinceridades do Natal

19 de dezembro e eu começo à entrar no clima de Festas de Final de ano mesmo sem, se quer montar a Arvore de Natal ou pendurar a Guirlanda na porta aqui de casa. Pois é Papai Noel, tirando isso, eu fui uma boa menina.

Mal entro no clima e já penso em todas as coisas que vem por ai, de festas de família à porres homéricos com os meus amigos, já que graças à Deus as comemorações coorporativas acabaram. Começa me dar calafrios quando penso, por isso listei 9 itens que acontecem só no Natal e que a gente sempre tenta sair da maneira mais elegante possível, mas se fosse para bancar a #sincera, seria mais ou menos assim :

(Alô Glorinha Kalil e Recalque, é tudo brincadeira!)

1) Vó, curti as meias mas preferia ter ganho dinheiro! 

Fantástico mesmo é ter a sorte de ser a amiga secreta da sua avó. No ano retrasado pijamas, nesse ano meias! Um conjunto delas, de bolinha cor de rosa à vermelho natal. Na etiqueta a gente faz cara que amou, mas tenho vontade de bancar a sincerona e mandar na lata: “Vó, te amo! Meias são úteis, mas na próxima me dá dinheiro”. Nem um pouco boa neta, eu sei, mas gente… meia de presente de Natal?

2) Para aquele tio chato

Ah, o Natal! Nada como reencontrar todo mundo, dar risada das mesmas piadas e conversar sobre as mesmas coisas. É  o mesmo roteiro, até que chega o tio chato. Aquele da piada pronta, que bebe um monte, banca o sincerão com todo mundo, é o melhor em tudo e por fim, chato até todo mundo começar a ignorar. Claro que a gente pega na mão do sorriso amarelo e arrasa na interação com o tiozão, mas a vontade era mandar um: “Chato bagarai”

Natal 2
{ Imagem reprodução }

3) E os namoradinhos? 

“Vão bem tia, todos bem longe.” Nada como ter uma tia preocupada com a sua vida amorosa em pleno Natal. Porque, né? Pra quê ela ia se preocupar com isso no dia dos namorados por exemplo? É no Natal que a família espera que você desencalhe e apareça com alguém na Ceia. Não tia, não tem namorado, não tem amor. Tem tequila, pode ser?

4) Quando aquele primo com milhares de espinhas, se torna gato. 

Primo, não pode! Pelo menos lá em casa sempre foi assim e sempre respeitamos isso (Papai Noel, me comportei!). Mas pegando exemplo de amigas com primo gatos, como pode de um ano para outro, aquele primo, que mora longe, que tava cheio de espinhas na cara e era magrelo, aparecer com músculos definidos e pele de bebê?! Santo Whey! Salve dosagem extra de hormônios! Dá aquela vontade de esquecer a festa da família e ir brincar com o primo.

5) Presentes só depois da 0h

“Sai da minha frente que eu quero abrir os presentes!”

Mããããããe, desculpa! Sempre detestei esperar à 0h para abrir os presentes e digo mais, foi trágico querer um velotrol e ganhar filmes da Disney ou roupas de presente de Natal. Confesso que até hoje eu sou meio traumatizada em ganhar presentes.

6) Pra quê tanta comida? 

Deselegante, desnecessário e engorda. Aff, ceia de Natal deveria ter só alface! Sempre volto ro-lan-do dos Natais lá de casa, é muita comida, muita bebida, tudo exagerado demais. Mas o pior não é a Ceia, o pior é ter que comer a comida do Natal reinventada pela mãe, avó e tias até o dia 30. Quem nunca comeu o strogonoff de peito de peru no dia 26 que atire a árvore de Natal!

7) Sempre tem uma prima magra! 

Daí você malhou o ano inteiro, jacou nos finais de semanas, não chegou no resultado que queria e advinha, vai rolar aquela Pool Party em familia. Claro que na família sempre tem uma prima gostosa. Aquela que se não tem o corpo das Panicats, tem o corpinho da Gi. É minha amiga, não tem o quê fazer, se joga na canga e vai. O sol é para todas, ano que vem tem mais e você pode dar o troco.

8) A festa do Natal

Mas é claro que a festa do Natal vai até tarde. E é claro também que eu sempre saio à francesa para curtir a minha festa do Natal com as amigas. Aquelas que infância que são as suas companheiras de vida. É sagrado, 2 da manhã a gente se encontra e faz a nossa festa acontecer. É o melhor encontro de todos, o balanço do ano, a força para as próximas dificuldades, as risadas sem fim e a ressaca maledeta no dia seguinte. Como eu amo vocês por isso.

9) Feliz Natal, tudo de bom.

Em casa é assim, 0h, a gente se reúne em volta da mesa, reza, faz votos e depois começa os “votos” individuais. “Feliz Natal, tudo de bom!” Eu hein? Que desejos de Natal frouxos, simplão demais. Cadê a ênfase no “MUITO AMOR”, tia? “Juízo”, do Tio? “Felicidades”, da prima?

Pois bem, o “tudo de bom” é o pretinho básico dos votos de Natal.

10) Aproveite o Natal… 

E blá, blá, blá…

É clichê eu sei, mas todas as coisas que comentei aqui, apesar do tom de brincadeira, precisam ser valorizadas. No Natal você percebe que as pessoas realmente querem – e podem, ser melhores. Aproveite mesmo isso! Faça as pazes com você, se jogue na noite mágica do Natal como ninguém, porque família é sagrada e ainda é tudo que a gente tem na vida.

Assinatura Ju - 2013

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo