SOBRE DOMINAR O LEÃO

Você pode até delegar essa tarefa, mas jamais (daqui em diante) deve delegar essa responsabilidade. Você me entende?

0

Leia ouvindo: Katy Perry – Roar

E chegou junho, mês dos casais apaixonados, de jantares românticos e dos presentes. Há que diga que é o mês do amor, acredito que todo dia é dia de amor, e não só entre casais. Todo dia é dia de exercitar o amor ao próximo, tão em falta no mundo. Por outro lado, me pego pensando que talvez seja melhor começar por dentro, com você, e reformulo a frase: Todo dia é dia de exercitar o amor próprio.

Digo isso por duas razões, a primeira porque só podemos amar ao próximo com qualidade quando o amor próprio está em dia. A segunda razão é porque o amor próprio empodera, traz auto confiança, auto suficiência, um ciclo sem fim, que vai tomando todas as áreas da sua vida. É uma experiência e tanto!

Lembre-se: Você é inteirx, ninguém precisa de outro para se completar.

De qualquer forma, com o amor próprio em alta, você finalmente entende que jamais deve delegar a responsabilidade sobre a sua felicidade para outra pessoa, porque você e única pessoa responsável por você em todos os aspectos, inclusive pela sua felicidade.

Não nego que jutinho com alguém é mais gostoso e leve. Neste caso, o que se delega são tarefas, coisinhas que o outro faz e te causam felicidade, tipo aquele cafuné, aquele abraço, aquele café da manhã, enfim, coisas que só a pessoa amada faz com maestria. Mas você entende a diferença entre uma situação e outra? Delegar a responsabilidade e delegar tarefas que te trazem momentos de felicidade?

Pois bem, é sobre delegar responsabilidade e tarefa, que quero falar com você hoje.

Neste ano, junho não é só o mês do amor, é também o mês de entrega da famosa Declaração de Imposto de Renda, tecnicamente chamada de Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF), que foi prorrogado por conta da pandemia.  Se você pensou “aff isso não é para mim, muito complicado” ou “aff ainda bem que fulanx cuida disso para mim”. Trate de se aprumar na cadeira, porque esse assunto é para você sim!

Você pode até delegar essa tarefa, mas jamais (daqui em diante) deve delegar essa responsabilidade. Você me entende?

Fotografia: Filme “Mia et Lion Blan” – reprodução

Preencher a sua Declaração é ter acesso a informações que você não compartilharia com qualquer pessoa, não é verdade? Tudo bem que é uma Declaração protegida por lei (o famoso sigilo fiscal), então, que tal exercitar o amor próprio ou deixar o ciclo lindo que ele causa inundar a sua vida em áreas que você achava que não dominaria?

A Declaração tem detalhes bem íntimos da sua vida financeira, tais como quanto você ganha, como e quanto pagou no seu carro, seus investimentos e dívidas. Enfim, você pode até confiar em quem cuidou ou cuida disso para você, mas vale refletir se o motivo pelo qual você delega(va) essa responsabilidade seja em verdade, porque você não se sente capaz de fazê-lo ou porque acredita que esse alguém, que também não é profissional da área, é mais capaz que você.

Percebe mais uma – entre as tantas – crenças limitantes que temos em nossa vida, no nosso dia a dia?

Acredite em mim, você faz coisas muito mais difíceis no seu dia a dia. Conhecimento liberta! Ter domínio dessas informações, vê-las todas juntas, confiar e apertar o botão “Transmitir Declaração”, vai te causar uma sensação maravilhosa. Precisamos tomar as rédeas da nossa vida em mais essa área!

Está tudo bem se você compreender a responsabilidade e mesmo assim não sentir o que estou dizendo. Já valeu por ter aprendido mais uma coisa, com a certeza de que ano que vem, delegará apenas a tarefa e não a responsabilidade em si.

“Mas eu não sei nem por onde começar!”

Eu sei, já estou te ouvindo daqui. Eu te conduzo, porque você vai fazer sozinhx – e com maestria. Antes de começar lembre-se: comece de peito aberto, livre de preconceitos, crenças limitantes e se amando muito por estar quebrando mais esse tabu.

Vamos lá:

1) Baixe o programa no site da Receita Federal – IRPF 2020 e navegue por ele, se permita conhecer. Esse tal de “Leão” não morde, só assusta quem não o conhece.

2) Resumidamente, a Receita Federal quer saber as seguintes informações sobre o seu 2019: Quanto você recebeu e de quem; Quanto gastou com saúde, educação e na compra de bens; Como ficou seu patrimônio em 31/12.

E aí, vai tentar? Se permita fazer algo novo.

Ah! Se a sua Declaração já tiver sido entregue por outra pessoa, não tem problema. Seja gentil com você mesmx, mas aproveite a oportunidade para lê-la com calma e descobrir o quão interessante pode ser essa nova experiência.

Se ame, se respeite e jamais se limite.

Cristiane Tassoni
Últimos posts por Cristiane Tassoni (exibir todos)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.