Sobre oração

Leia ouvindo: The Lumineers – “Stubborn Love” 

“Acreditar em Deus é bom inclusive porque evita que a gente se ache Deus. E evita que a gente seja movido pela besta que está no homem. É por isso que, a cada manhã e a cada noite, eu rezo. Não para ser santo, como disse, mas para não ser besta. Para ser homem.” Nizan Guanaes

Tenho uma admiração enorme por Nizan. Primeiro por saber da sua trajetória de vida, depois por ser publicitário, empresário, empreendedor e lúcido. Toda vez que leio seus textos, me dá um alívio enorme saber que no meio de tanta gente maluca, ainda existem os lúcidos. E melhor que isso, os lúcidos que sabem quando precisam ser lúcidos. Para mim, assim é Nizan. A certeza maior veio depois desse texto aqui, sobre oração, que eu acho que você deveria ler.

O meu primeiro texto de 2016 é sobre oração, é sobre fé, é sobre a nossa mania de querer ser superior, inclusive à Deus ou qualquer nome que tenha essa força que rege nossa vida.

Nos últimos 6 meses eu confesso que rezei pouco, dobrei meus joelhos menos do que poderia, apesar de tudo, fazia questão de agradecer a cada final de dia. Gratidão também é uma forma de oração. Mas digo rezar no sentido de meditar, de tirar um tempinho na agenda corrida para conversar com Deus ou simplesmente esvaziar a mente. Sentir a baita energia que existe entre você e todo o universo.

Sobre Oracao

[ Imagem: reprodução ] 

Eu corri demais atrás de coisas que me acrescentaram de menos. Entrei em projetos que me sugaram energia e me devolveram stress. Perdi domingos de almoço na casa dos meus pais por trabalho. Deixei de me dedicar a tantos outros projetos incríveis. Deixei de dormir direito. Deixei de tirar um tempo para mim para me dedicar aos outros. Deixei a vida me atropelar e ainda passar por cima de novo quando deu ré. Puta sentimento de fracasso. Puta sentimento de aprendizado. Eu deveria ter rezado mais, deveria ter pedido mais sabedoria. Deveria. Não fiz.

Fui pelo caminho mais difícil, peguei atalhos e estive com pessoas erradas, mas continuei agradecendo por tudo, inclusive meus erros. Eu não sabia, mas até mesmo esses agradecimentos me ensinariam algo. Fiz bem a lição de casa: errar para acertar.

No final do ano veio a meditação, aquela vontade insana de colocar a vida no lugar. Voltamos algumas casas no jogo da vida. Punição? Não acho que seja essa a palavra. Desatenção talvez. Faltou foco. Faltou oração. Faltou sabedoria. Sobrou um pouco de maturidade. Olhei para vida e vi ainda em tempo aquilo que falhava.

Diferente de muitos humanos que se acham Deus, prefiro sentir Deus para aprender a ser mais humana. Deus também está nos erros, nos caminhos tortos, desafios enfrentados, nas lágrimas, no sentimento de fracasso. São nesses momentos que sangramos e nos sentimos mais vivos. É na falha que vem o ponto da virada. A ruína é uma dádiva. Roma é a cidade mais humana que existe, fez de suas ruínas, feridas abertas que pulsaram o restante da cidade. Ela cresceu ao redor de suas cicatrizes. Ela insiste. Assim somos nós, ora império, ora ruínas.

Voltei a rezar, continuei agradecendo e sei que vou errar sempre. Isso me faz mais humana. Isso me deixa cada vez mais próxima à Deus.

2015_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

3 comentários em “Sobre oração

  1. Juliana,
    gostaria de parabenizar a você, pelos lindos textos !! hoje acho que já li uns 10…e estou aqui encantada e em lagrimas.. de pensar que vc fala umas verdades.. que são lindas , que entra no meu coração como uma magia..
    Parabéns por trazer esperança com o seu modo de melhorar o mundo , transbordando as suas lindas palavras..

    beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo