Sobre os caras que tive | Admiração

Leia ouvindo: Cat Power – Lived In Bar

Por vezes busquei no outro profundidade, quase sempre achei superfície. Não vou negar que por mergulhar no raso ganhei belos arranhões e sérios machucados, todos devidamente recuperados. Aprendi a observar antes de efetivamente mergulhar.

Ainda receosa com todo e qualquer ser que se aproxima, dou abertura para aqueles que possuem pontos em comum e pontes inteiras para passar. Mais importante do que encontrar alguém é saber se a ponte que ligará vocês é realmente firme. Isso vai além do gosto por culinária, cor ou banda favorita. A ponte será a facilitadora para o caminho que vem ali na frente. E olha só, você não vai explicar nada pelo caminho, sabe porque? Por que você não sabe se o outro quer seguir por onde pretende ir. Sabendo que ele não quer, siga você por onde quer. Pior do que não saber para onde ir, é alguém que te faça voltar com ele.

Finalmente alguém teve coragem de estar ao meu lado quando eu parecia arisca demais. Você me mostrou uma ponte firme e um propósito consistente. Não foi difícil ganhar um coração batendo mais rápido e uma admiração enorme por você. Eu só queria seguir pelo meu percurso sozinha, já deixei pessoas para trás e não me arrependo disso. Só não imaginava encontrar alguém que fosse se empenhar em me mostrar um novo caminho, com a proposta de sermos dois.

Sobre os caras que tive

[ Imagem: reprodução ] 

É admirável encontrar alguém que queira abrir mão de uma agenda corrida e concorrida para te ter por perto, e que mesmo com os olhos grudados no e-mail do trabalho ainda consiga te dar atenção e te ajudar a visualizar as oportunidades que aparecem. Alguém que queira te ver crescer, aparecer e ir, dando em troca um porto segura realmente firme diante das piores tempestades para quando você quiser voltar. Uma segurança rara de sentimento e parceria.

E assim, fica até mais fácil separar homens de lobos. Você finalmente entende que tudo aquilo que sabe sobre amor, não é nada perto do que acaba aprender. Estabilidade. É realmente ai que começa a admiração e o amor. Alguém que estabilize seus medos, seus desejos, suas angustias, seus devaneios. Estabilizar não é acomodar, vamos deixar claro. Estabilizar é simplesmente equilibrar esse turbilhão de coisas que passam pela cabeça e coração. Alguém que vai te tratar de igual para igual, mas ainda assim não perderá a gentileza de te tratar como mulher. Por maior que seja o seu cargo ou o dele. Por menor que seja as inúmeras diferenças entre vocês. É olho no olho, mãos dadas e rumo ao sempre. Sempre juntos.

Por fim, admirar alguém também requer coragem, não apenas nos momentos em que um ou outro está mais arisco, mas nos momentos de calmaria. É ter coragem para deixar ir, mesmo querendo que o outro fique. É continuar sendo porto seguro quando o barco está no mar. É simplesmente estar. Mais importante que alimentar o amor é administrar a admiração. Nem de mais, nem de menos, apenas o suficiente para ser estável.

Estado cívil? Admirado. Admirando.

2015_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “Sobre os caras que tive | Admiração

  1. Parabéns, seus textos me enchem de alegria e me fazem refletir bastante sobre muitos momentos da minha vida. Me trás paz, sabedoria em algumas situações e uma força que diz: Vai lá menina.. Viva! Viva que tempo é vida!
    Obrigada Juliana..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo