Sobre os caras que tive | De olho na conhecida

Leia ouvindo: P!ink – Are we all we are

Pois bem, eu deveria não me importar. Primeiro porque não temos nada, segundo porque eu não te conheço direito e terceiro por mim – por saber o que eu não quero para mim. O discurso é bonito, mas na realidade, digamos, intensidade não é assim. Eu me importei sim, me senti desrespeitada.O nosso caso era recente, eu sei. Não era momento de se importar com miudezas, eu também sei. Mas o principal intuito de duas pessoas sairem juntas é para se conhecerem melhor. Miudezas fazem parte do processo. A sua miudeza pode influenciar a minha decisão. E o mesmo vale para você em relação à mim.

O que me incomodou não foi perguntar sobre a atual status de relacionamento da minha conhecida num bate papo informal naquela festa, foi o olhar – para não dizer olhares – de interesse para ela, na minha frente. Veja bem, eu não tenho absolutamente nada com você mas quando estiver comigo, esteja comigo, ou finja estar. Fingir é educado na maioria das vezes.

Não estou pedindo fidelidade ou cobrando qualquer posição, aliás, a única cobrança é respeito por aquele momento que você escolheu estar comigo e eu com você. Simples, né? Depois, se você quiser pegar o telefone dela, marcar um encontro ou demonstrar interesse dando likes no instagram o problema seria só seu. Não que eu concorde com tal atitude, mas os julgamentos são meus. Acredito que não vá ter interesse.

84094fdd9ffaead06d765dbf0098c837

[ Imagem: reprodução ] 

O respeito pela situação e pela mulher que escolheu estar diferencia os homens dos meninos. Vocês sempre vão olhar para uma bunda, um peito, uma coxa, é orgânico, natural, animal. Mas se quer saber a minha opinião… dê esses olhares, faça suas investidas, comece com os papinhos longe da garota que você escolheu estar, seja ela para uma noite, um dia ou uma vida. Quando estiver com ela, esteja com ela de verdade.

Respeito e gentileza cabem em qualquer lugar, até mesmo para a sua ficante recente. E falando como marketeira, ser discreto em outras investidas é bom até para o seu marketing pessoal. A fama de “galinha”, “pegador”, “conquistador”, faz mal não só pelo estereótipo que te colocam, mas porque você faz jua a fama de ser um babaca. Convenhamos, lançar olhares para o conhecida dela não é legal. Com tantas mulheres no mundo você quer justamente duas que se conhecem? Homem parece gostar mesmo de criar mal estar.

Não acho que seja uma situação normal, muito menos uma situação que me deixa confortável. Não vou fazer escândalo, não vou pedir respeito por alguém que não sabe o significado de tal, não vou insistir em chamar atenção de alguém que não me deu a devida atenção.

Como sempre decidi ficar na minha, sair à francesa e aceitar que se você não me respeita, eu faço isso por mim. Machuquei demais minhas mãos por dar murro em ponto de faca. Por mais interessante, bonito, inteligente, engraçado e bem sucedido que seja, essa história de amor próprio e respeito sempre me ganha. Graças à Deus! Nunca a máxima, antes só do que mal acompanhada caiu tão bem.

Sobre a dor de cotovelo que talvez você comente, fique tranquilo. Não há coisa mais gostosa do que deitar a cabeça no travesseiro e ter a certeza de que seu coração não vai doer por esse cara errado.

2015_Ju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo