Sobre os caras que tive | É ele

Leia ouvindo: Trevor Hall – “Forgive”

Nunca senti aquela sensação de certeza em relação a alguém. O famoso “é ele”. Sempre perguntei para amigas que encontraram o amor da vida se essa sensação é real, se a gente realmente sabe que o cara é “O” cara. E todas elas afirmam com absoluta certeza que sim, é real.

Aqui dentro sempre existiu mais dúvidas do que certeza. Todas as vezes que eu achei que era, não era. Que intuição filha da puta, além de me colocar em enrascadas ainda erra o cara da minha vida. Tenho direito de me irritar, já entrei em cada confusão por causa dela. Dizem que intuição tem a ver com a lei da atração, mas gente, quando é que a gente quer atrair para nossa vida caras errados? Pois bem.

Ando descrente de quase tudo, amor, relacionamentos, pessoas. Apesar desse jeito “descolado”, o mundo anda liberal demais para o meu lado mais careta. E esse lado é justamente o afetivo. Ainda tenho valores que para muitos não fazem sentido. Um deles é acreditar que no meio desse mundaréu de gente existe alguém que será meu. Meu no sentido de posse mesmo. O alguém para chamar de meu da forma mais egoísta e bonita possível. Todas as noites eu bato um papo com a esperança, renovo as forças.

– Ainda vou encontrar a minha agulha perdida no palheiro. Digo baixinho antes de dormir.

É muito louco, mas quanto mais você desacredita mais o universo prova o contrário. Foi assim, no meio de uma multidão onde todo mundo disse que se perdeu, nos encontramos. Tinha que ser você e mais ninguém. Tudo que eu havia vivido até ali fez todo sentido. O meu olhar se fez feliz com o seu, o meu corpo ficou confortável junto ao seu e como num encaixe único o beijo foi reza.

24d360cb5d84c954b00749c619fb5c8f

[ Imagem: reprodução ]

É ele.

Quando é para ser tudo pode dar tudo errado, mas milagrosamente dará certo logo depois e isso não é no final como muitos dizem, é no inicio. É o começar a desenhar a história à partir dali, quando tudo faz sentido, quando a certeza toma conta do ser. Tinha que ser. Entende?

E foi nesse dia que eu senti o que as minhas amigas sentem, a certeza de ter encontrado alguém que depois de tanta reviravolta se fez presente. Uma sensação única, plena e avassaladora. Um pancada na porta, uma paz imensa na alma e a vontade de viver mais uma vida ao lado de alguém.

O amor nos deixa mais vivos, nos torna melhores. O amor nos traz certezas únicas.

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “Sobre os caras que tive | É ele

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo