Talvez ele não queria ser só seu amigo

Leia ouvindo: Lorene Scafaria – We Can’t Be Friends

Admirar alguém é foda. Assim, palavrão escrachado e direto. Admirar é mais intenso que amar, se bem que um está ligado diretamente ao outro. Admiração é a base de qualquer relação, do amor aos negócios.

E é com admiração que tudo começa. Ele é seu amig0. Vocês compartilham bons momentos juntos, colecionam risadas, são parceiros do suco à vodka, se entendem pelo olhar, são colados, saem juntos sempre e óbvio, seria difícil não admirá-lo, ele é o cara mais bacana que você já conheceu. Uma amizade bonita e tão rara entre homem e mulher.

Você nunca imaginou que fosse acontecer nada entre vocês até a última festa, mais animada do que nunca. Como sempre, vocês foram os últimos a sair, o casaco era dele e os pés descalços seus. Eram 4 am e o carro nunca pareceu tão longe, mas foi nesse percurso que ele teve a genial ideia: ver o nascer do sol lá do Observatório da cidade. Ia ser lindo, a última vez que fizemos isso foi na época de faculdade.

{ Imagem: reprodução }
{ Imagem: reprodução }

Foi ali, sob os primeiros raios de sol e algum grau de loucura que beijaram calorosamente, como nunca antes feito. Ele te desejava mais do que você imaginava. O momento foi um mix de sentimentos: medo, vontade, amizade e loucura. Aquilo era errado, pelo menos diante da amizade de vocês. A despedida daquele dia foi estranha e as conversas da semana também, apesar de vocês terem jurado que nada iria estragar tudo.

O que era doce, azedou. O nada virou tudo e os sentimentos ganharam intensidade. Você sabia que isso ia acontecer, já não dava para levar como antes, todos os encontros eram estranhos e maravilhosos ao mesmo tempo. Era maravilhoso estar com ele, seu melhor amigo, cia de todas as horas e dono dos melhores conselhos. Era também confuso, ele já não te olhava como amiga, te queria como mulher e você sabia que não era momento de continuar, até porque o Gabriel – aquele caso enroscado – tinha virado seu namorado. O mundo ficou um pouco mais bagunçado em algumas semanas.

Alguns meses se passaram e o inevitável aconteceu, uma declaração de amor. Assim, jogada na sua cara da maneira mais bonita que você já viu. Pega de surpresa e com o coração na mão, a reação não apareceu. O Gabriel estava certo quando disse com tom de ciúmes da admiração pelo meu melhor amigo, “admiração demais vira amor”. O Gabriel também não fazia mais sentido nessa altura da história, o nosso namoro naufragou em meses.

O amor pode acontecer no virar da esquina, naquela fechada no trânsito, na fila do banco, no cinema, com o vizinho ou em qualquer obra do destino. O amor também acontece depois de uma admiração mutua. É mais fácil amar quem a gente admira. Você pode até fazer planos, mas percebe que faz parte de outros planos, o destino sempre te presenteia com algo maior e melhor.

Ele não queria ser só seu amigo. Ele queria ser o cara que compartilhava com você bons momentos, colecionava sua melhor risada, o parceiro do suco e da vodka. Queria te entender pelo olhar, ficar colado, sair junto sempre e óbvio, admirar a mulher mais bacana que ele já conheceu. Uma amizade bonita e tão rara entre homem e mulher. Um amor tão bonito a dois. Ele só queria ser o seu amor.

Assinatura_Juju

Juliana Manzato
Últimos posts por Juliana Manzato (exibir todos)

Juliana Manzato

Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Esportista. Feminista. 80 porcentista. Irônica eu? Imagina.

Um comentário em “Talvez ele não queria ser só seu amigo

  1. Descobri a pouco tempo o site, o face e o instagram, mas esse pequeno tempo foi o suficiente para cair de amores! Suas postagens são incríveis e é impressionante o quanto você consegue descrever cada momento do cotidiano de (quase) toda mulher! Meus parabéns e vida longa aos seus textos! Um grande beijo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo