TER CONSCIÊNCIA FINANCEIRA É UM ATO DE AMOR PRÓPRIO!

E sei que parece pesado, e às vezes vai ser mesmo, mas quando você desperta, não tem como voltar atrás.

0

Leia ouvindo: Beyoncé feat. Chimamanda Ngozi Adichie – Flawless 

Por anos achei que muitas das características que eram defasadas no meu modo de lidar com o dinheiro vinham da forma como fui criada. Trabalho desde os meus 14 anos, mas não tinha consciência do que o dinheiro verdadeiramente representava, e por muito tempo tentei suprir a falta (material e emocional), gastando todo meu salário.

Acontece que o tempo passa, e quando você se dá conta, só tem duas escolhas: aceitar o lugar que disseram que é seu, onde o passado é o responsável pela desordem a qual você se queixa, ou se torna grata e autorresponsável, tomando as rédeas da sua própria vida. E tomar as rédeas não é pura e simplesmente fazer aquilo que dá na telha: é entender que a cada escolha ou renúncia, você está colocando em ação o seu poder de construir pontes ou muros.

E sei que parece pesado, e às vezes vai ser mesmo, mas quando você desperta, não tem como voltar atrás. De tudo que já mudou e que ainda há de mudar dentro do tão falado e questionado “novo normal”, algo me parece permanente: O dinheiro continua sendo a ferramenta, a ponte necessária para que sonhos e projetos sejam colocados de pé, tanto quanto a comida que precisa ser colocada na mesa (e que tem faltado tanto e pra tantos).

O mundo aqui fora continua um tanto hostil, mas, naquilo que te cabe: o que você tem feito para acelerar a sua jornada em à realização? Tão importante quanto torna-se autorresponsável, independente ou simplesmente cuidar da sua saúde financeira, é se dedicar ao processo. É ele quem fará com que esses sonhos e projetos, tão seus e profundos, ganhem força e tração. É quando você descobre que a magia da vida real é construir pontes resistentes ao invés de muros limitantes, e vai começar por você.

Ter consciência financeira é um ato de amor próprio. Não é sobre romantizar a relação com o dinheiro, mas entender que, colocar energia na direção certa, fará com que você chegue mais rápido ao seu destino e tenha fôlego para usufruir da tua tão suada e admirável jornada. Sente-se, respire, surte, realize, medite, descanse. Quando pensar em desistir, repita o ciclo.

Quando uma mulher decide dar os primeiros e imparáveis passos em busca da sua liberdade financeira, ela não muda só o seu contexto, mas de toda uma sociedade. Faça parte desta (r) evolução!

Fotografia: reprodução
Caroline Rosa

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.