Um clichê de felicidade para o ano que vem

Por Bianca Ferreira

Fim de ano é sempre assim. A gente começa a se sentir estranho, avalia tudo o que passou, faz milhões de promessas para o ano que chega. Acorda todo dia com sentimentos revolucionários!

Hoje eu acordei pensativa. Uma vontade incrível de solucionar todos os meus problemas, de me sentir mais leve, de me sentir mais útil. Seguindo a linha de pensamento do Rubens, acordei querendo SIMPLIFICAR.

Qual é a razão da gente querer dificultar tudo? Por que a gente confia desconfiando? Por que tudo tem que sempre parecer mais complicado do que de fato é?

Então hoje, um pouco mais cedo do que eu planejava, comecei a minha lista de resoluções para o próximo ano. Já que 2011 foi um ano conturbado, eu exijo que EU MESMA faça de 2012 um ano mais leve. Mais simples. Como?

– Dando mais valor a quem realmente dá valor para mim
– Dizendo mais “nãos”, porque dizer “sim” o tempo todo pode se tornar uma tarefa complicada
– Amando mais a minha família, pois são eles que estarão comigo no fim da linha
– Prezando mais pela minha saúde
– Viajando mais para os lugares onde eu me sinto em casa
– Trabalhando muito, mas me divertindo o dobro
– Tomando mais bons drinks na companhia daqueles que merecem um brinde
– Aceitando que a idade chega para todo mundo e aproveitando o que a maturidade traz de bom
– Sendo menos política com todo mundo e pensando mais em quem me faz bem
– Sendo feliz sozinha, sem esperar que ninguém traga esse sentimento embrulhado para mim
– Não tendo medo e nem vergonha de ser clichê ao escrever uma lista do que deseja para o próximo ano

Ser clichê faz parte e, muitas vezes, simplifica.
Eu quero isso tudo aí de cima e eu pretendo me esforçar para a minha vida ser esse clichê feliz.
E você, o que deseja para a sua vida ser mais simples?

Últimos posts por admin (exibir todos)

admin

4 comentários em “Um clichê de felicidade para o ano que vem

  1. belo texto menina e nunca é tarde para querer ou mesmo aprender a usufruir dessas suas resoluções pro ano… Boa parte do que ali está estou em processo de aprendizagem mesmo aos 35 anos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo