Um dia perfeito

2



Em um 12 de junho, não sei dizer qual, algo estava diferente no ar.


No vai e vem atrasado pelos corredores da casa, o marido deu um tapa na bunda da sua esposa, que ecoou pela sala. Assim, de graça. Passou perto, tomou um tapaço que a fez lembrar que é mulher e que o seu marido é homem.


Naquela mesma manhã um senhor não parava de paquerar sua senhorinha desde a hora que sentou à mesa pro café da manhã. Ela até percebeu, mas achou que era impressão, afinal, no alto dos seus 70 anos, quem se interessaria por ela? A resposta veio em forma de um agarrão por trás com direito a carícias, beijo na nuca e mão pra lá de boba.


A piriguete não esperou seu peguete acordar e ligou bem cedinho, só pra dizer que ele não era nada dela, mas que não se metesse a besta de largá-la sozinha naquele dia. E assim passaram o dia se namorando.


Perto da hora do almoço o namorado apareceu de surpresa no trabalho da namorada e a arrastou para um restaurante super charmoso. Tinham pouco tempo, mas usaram com sabedoria e ficaram grudados o suficiente para voltarem aos seus trabalhos com um sorriso no rosto.


O segredo é que marido e esposa se comportam como namorados e os velhinhos, como peguete e piriguete. A piriguete quis que seu peguete fosse um namorado só dela e os namorados foram companheiros como os velhinhos, que se deram um tempo e um pedaço do dia para ficarem juntos.


Aquele dia dos namorados foi perfeito. E no fundo, tudo é uma questão de trocar de personagens, o tempo todo. Seja piriguete, peguete, marido, esposa, vôzinho, vózinha, mas acima de tudo, seja namorado, seja namorada. Sejam amantes, cúmplices, confidentes, amigos. Só assim o sexo fará sentido e sua namorada não será um depósito de esperma nem seu namorado um vibrador com pernas e braços (porque cabeça, homem não tem mesmo. Não resisti).


Mantenha aceso o tesão de pegar nas mãos dele ou dela. Abaixou? Tapa na bunda. Roube um beijo por dia. Uma passadinha de mão? Só se for agora. Uma pegada num canto qualquer da casa? Lógico que rola. Mas acima de tudo, seja um personagem de si mesmo para cada situação.


Beije como uma piriguete, ame como um marido, tenha o desejo de um namorado e cultive a admiração pelo outro como um casal de vôzinho e vózinha.


Só assim aquele 12 de junho perfeito será reproduzido todos os dias.

Últimos posts por admin (exibir todos)

You might also like More from author

2 Comments

  1. Bruno Afonso says

    Show o texto!!
    Só não gostei “(porque cabeça, homem não tem mesmo. Não resisti)”, fora isso, tá valendo. Kkkkkk…

Leave A Reply

Your email address will not be published.